Sabia que pode fazer cicloturismo no Caminho de Santiago de Compostela? Já pensou em percorrer 800 quilómetros ao longo do Norte de Espanha, atravessando os Pirenéus, cruzando a região vinícola de La Rioja, passando por várias cidades histórias espanholas (como Burgos ou Astorga), até chegar ao coração da Galiza?

O Caminho de Santiago é a célebre rota de peregrinação religiosa, com mais de 10 séculos de tradição, que serviu de base ao famoso romance de Paulo Coelho, “O Diário de Um Mago”. Contudo, nem toda a gente sabe que é perfeitamente possível fazê-lo de bicicleta. Tal como uma parte dos caminhantes da atualidade o fazem por razões desportivas, também os amantes das duas rodas podem partir de Saint-Jean-Pied-de-Port, do lado francês dos Pirenéus, e pedalar até Compostela.

Naturalmente, também os peregrinos que queiram renovar a tradição religiosa da peregrinação poderão usar a bicicleta; afinal, durante toda a Idade Média, o cavalo e o burro foram também utilizados para fazer o grande Caminho, nada obrigando quanto à exclusividade da caminhada.

São tantas as pessoas a fazer o caminho de bicicleta que foi estabelecido que, para receber a “compostela”, o certificado de conclusão dbike path Caminoo Caminho, os ciclistas devem percorrer pelo menos 200 quilómetros, ao contrário dos caminhantes pedestres, que devem fazer
pelo menos 100 quilómetros. Os ciclistas, ou “cicloperegrinos”, devem partir pelo menos da cidade de Ponferrada, na província de León. Lembre-se de que, ao requerer a sua “compostela”, será necessário, além de ter completado 200 km, que o tenha feito por motivações “religiosas” ou “religiosas e outras” para que o certificado lhe seja atribuído.

Os guias para ciclismo do Caminho de Santiago apontam que, em média, o ciclista poderá fazer o Caminho em 2 semanas, pedalando entre 50 a 75 km por dia. Contudo, as regras gerais para os caminhantes também se aplicam aos cicloturistas: não é necessário planificar detalhadamente a sua viagem, pois não faltam infraestruturas de alojamento e restauração ao longo do percurso, sendo que decidir com base no improviso é um dos elementos-chave para que o Caminho se torne uma grande experiência.