Fazer o Caminho de Santiago

Fazer o Caminho de Santiago é, atualmente, não só uma experiência puramente religiosa, mas também espiritual e quase desportiva, para quem gosta do isolamento, do esforço contínuo e do tempo livre para a reflexão. Deixamos aqui algumas dicas para quem se dispõe a fazer o Caminho de Santiago e tirar o melhor partido da viagem:

Não planeie demasiado

O Caminho de Santiago implica precaver-se contra riscos, munir-se de um guia básico, ter noção das distâncias e dos pontos de apoio. No entanto, não pense em planificar em detalhe a viagem, prevendo os locais onde vai pernoitar, as datas e horas. O Caminho é imprevisível: haverá momentos em que quererá acelerar, outros em que preferirá pensar na vida enquanto observa a paisagem, ou talvez faça amigos pelo caminho e prefira abrandar. Os imprevistos de ordem física também poderão afetar o plano.

Lembre-se de que o Caminho atravessa uma densa rede de infraestruturas (albergues, aldeias, fontes, pontos de descanso, presença de rede móvel), o que facilita também um menor planeamento.

Para treinar para o Caminho, aproveite a primeira semana

Já foi dito neste “site” que é necessário um ritmo moderado nos primeiros dias do Caminho, para evitar cansaço posterior. Contudo, o caminhante pode adotar uma estratégia diferente e deliberada: forçar o ritmo nos primeiros 5 dias, de modo a treinar-se, e abrandar daí em diante, fazendo menos horas de caminhada por dia. Poderá aproveitar para conhecer melhor os diversos pontos de paragem.

Simplifique a sua higiene

Esqueça cremes oblue and white soapu maquilhagens, mas não deixe de parte o protetor solar – mesmo que não seja verão -, e leve consigo sabão azul e branco, ou similar, que lhe permita lavar-se a si e à roupa, transportando o mínimo de peso possível.

Não se esqueça dos talheres

É possível que um grupo de peregrinos se junte de forma espontânea para uma refeição em conjunto. Para que possa estar prevenido, tenha consigo talheres, um prato de plástico e um copo.

Leave a Reply