Porque é Ótimo Percorrer o Caminho de Santiago

Se já pensou em percorrer o Caminho de Santiago, mas acha que é demasiado extenuante, que pode tornar-se aborrecido ou que simplesmente não é para si, pense de novo. Confira alguns dos melhores aspetos de um trajeto pelo Caminho de Santiago:

Não há regras

Diz-se que a média de quilómetros percorridos por dia é entre 20 e 25, mas pode ser de 30, para quem for capaz, ou de 10, se assim o preferir. Ou fazer 30 quilómetros num dia e 5 no seguinte. Ou fazer o Caminho de bicicleta, uma vez que o terreno o permite. Sabe-se até que há quem o faça de automóvel, numa interpretação muito própria do espírito do Caminho. Finalmente, os portugueses fazem o Caminho Português, ao invés dos alemães, franceses, americanos ou brasileiros, que optam habitualmente pelo Francês. A experiência é inteiramente personalizável e à sua medida.

É fácil de percorrer

Os puristas do “hiking” ficarão dececionados. O Caminho atravessa troços rurais, estradas empedradas e outras vias largas e perfeitamente identificadas. Há pontos de água frequentes, bem como restaurantes e albergues; não precisará de planear cada dia com minúcia. Veja que se quiser “pecar” durante o caminho e aceder ao spinpalacecasino.com no seu smartphone, só para ver se as “slot machines” estão bem alinhadas com seu destino e lhe dão um pequeno prêmio extra para a viagem, não faltarão áreas com wi-fi gratuito. Lembre-se da dica dos peregrinos; se cair doente, será um sinal de seu corpo de que não deve continuar a viagem. Então, se conseguir um prêmio, talvez possa fazer uma viagem mais demorada e tranquila.

 

É social

Sabendo que existirão cerca de 200.000 pessoas a fazer o Caminho anualmente, isso é garantia de que poderá fazer amigos no trajeto, partilhando experiências e fazendo refeições em conjunto, por exemplo. Claro que, para quem prefere estar sozinho, basta não estabelecer contacto com outros peregrinos.

Aspetos turísticos

the cathedral of BurgosAtravessando todo o Norte de Espanha, o peregrino deparar-se-á com montanhas, pomares, vinhedos – nomeadamente, na afamada região vinícola de
La Rioja -, a catedral de Burgos e o palácio episcopal de Astorga, desenhado por Gaudí.

É uma experiência pessoal

Passar vários dias longe do quotidiano, longe das exigências profissionais, familiares e até da vida moderna – com todo o aparato tecnológico – e concentrar-se apenas em percorrer um determinado Caminho, sem pressa de chegar, é algo que rapidamente se tornará numa experiência pessoal. A mente tem tempo para refletir calmamente, e os peregrinos, mesmo os não crentes, acabam por sentir uma certa renovação espiritual – ou mental – que dará às suas vidas uma nova perspetiva.

Leave a Reply